Grupo Humus de Teatro

BANNER HUMUS

O Grupo HUMUS de Teatro foi criado a partir das oficinas de Teatro do Projeto “Viva Arte Viva “da Associação dos Amigos das Artes de Brasília Brasil – AMABRA, como objetivo de aprimorar os trabalhos visando a profissionalização dos componentes.

Humus ou humo é a matéria orgânica depositada no solo e que de alguma forma, é esse ser em potencial que nutre a vida de cores, imaginação, símbolos e possibilidades, dando origem à vida. HUMUS é a camada que enriquece o solo e onde se planta se fortalece, tudo dá, De alguma forma, o homem é esse ser em potencial que nutre a vida de cores, de imaginação, símbolos e possibilidades”.

O processo de criação do Grupo HUMUS de Teatro ocorre naturalmente com muito  trabalho, pesquisa e criatividade para a produção e realização de novos espetáculos, onde o importante é diversificar as linguagens e agradar a todos.

Em todos os trabalhos, o grupo tem realizado intensivos estudos sobreo contexto histórico, político e cultural da época em questão.

Em 2009, o grupo convidou a atriz e diretora de teatro Ada Luana para dirigir o grupo e coletivamente montou a peça “Cuide-se” – uma livre adaptação de cenas escolhidas das peças “Closer” de Patrick Marber, “A Cantora Careca” de Eugène Ionesco e “A importância de ser Prudente” de Oscar Wilde. Este espetáculo traz o amor em três estágios de um relacionamento a dois: início, meio e fim. A peça mistura drama e comédia e algumas cenas “solos” criadas pelos atores para contar ao espectador algumas histórias de amor, ou o que sobrou delas.

315529_281040855240441_469898612_n

Cuide-se

 

 

 

 

 

 

 

Em 2011, o grupo convidou a atriz Lorena Vilela para dirigir o processo criativo da peça “(A)Corda” – uma adaptação livre  inspirada nas comédias Dell`arte de Molliére – usando os arquétipos da peça “O médico Volante”. O trabalho consegue transpor o tempo, trazendo criticas e problemas existentes nos dias de hoje e ainda mistura comédia, drama, fantasia e realidade dentro de vários pensamentos filosóficos e questionadores da mente humana.

 

Curiosidade:

“Quanto mais cavalos e charretes transportando damas e cavalheiros aos teatros, aumentava-se o odor de merda nos arredores. Criou-se o termo “muita merda para você” o que significava na época, Teatro lotado!

Então você artista, quando alguém antes subir ao palco lhe desejar “muita merda, ou simplesmente merda” na realidade está lhe desejando “Teatro lotado ou grande público no seu espetáculo”

Portifolio

A Orquestra Filarmônica de Brasília informa que estão abertas as inscrições aos interessado(a)s em participar das oficinas de Teatro do projeto Viva Arte Viva, para isso,  Siga as instruções clicando aqui no INFORMATIVO Nº 03